AS HOMENAGENS

AS HOMENAGENS

 

       No dia 13 de maio, na edição especial do Dia das Mães do jornal FOLHA DE BRODOWSKI, 118, ano IX, em materia da jornalista Marilia Valente, feita pela repórter estagiária Milena Tomazini, foi publicada a seguinte materia, a qual encheu de orgulho todos os filhos, pois ali estava traduzido nas proprias palavras dela, o que tinha sido sua vida até então, aos 87 anos, e que contém todo o amor que ela, na sua simplicidade, dedicava aos filhos, na sua vida ao lado do seu esposo querido, que foi marcada por trabalho, abnegação, renuncia:

 

Isaura Rebecchi Zapolla:

Exemplo de Mulher e Mãe

 

 

Ela é uma mãe cheia de saudades da época em que os filhos eram crianças. Uma companheira eterna no casamento que durou 67 anos. Foram mais de 30 anos fazendo os famosos sorvetes e doces, que eram conhecidos na cidade inteira.

Dona Isaura Rebecchi Zapolla é um exemplo de mãe dedicada aos filhos e a casa. Hoje, aos 87 anos, ela dispõe de vitalidade e mostra que tem muito amor pra dar.

Nascida em Brodowski, Isaura conta que desde criança ajudou a mãe no serviço de casa. Acordava às quatro horas da madrugada para buscar lenha. Era um trabalho pesado, cansativo, mas que ela fazia todos os dias. “Naquela época não tinha fogão a gás. A gente buscava lenha no mato e era um serviço muito pesado”.

Com apenas 12 anos, dona Isaura também ia para as colheitas de café para fazer a separação dos grãos. “A gente fazia a catação do café, escolhia os bons e jogava fora os ruins”, lembra.

Isaura estudou no grupo escolar até o quarto ano primário. Precisou deixar os estudos de lado, para se dedicar ao trabalho. Apesar de ter estudado pouco, Isaura sempre foi muito estudiosa. “Os professores falavam que eu era inteligente, não queriam que eu parasse de estudar”, conta.

Aos 15 anos, ela começou a fazer um curso de costura em Ribeirão Preto. Durante um ano ela aprendeu a fazer bordados, crochês, flores artificiais, entre outros. “Era muito bom”.

Ainda na juventude, Isaura foi trabalhar na casa da dona Ana Fabbri. Ela conta que fazia todos os serviços da casa. “Eu lavava, passava, torrava café e outros serviços”, lembra. Dois anos depois, ela começou a fazer pequenas costuras. “Eu fazia alguns consertos, em casa, para os vizinhos”, disse que ainda ressaltou: “Eu tinha facilidade em aprender as coisas”.

A mãe de dona Isaura lavava e passava roupa para ajudar no orçamento da família. Ela sempre ajudava. “Eu ajudei muito minha mãe a lavar e passar roupas”, diz.

Depois de um namoro de cinco anos, dona Isaura, casou-se aos 20 anos, com José Zapolla, com quem teve seis filhos: Meire, Derlei, José Carlos, Vera, Douglas e Áurea Beatriz. Uma das filhas, Maria Dalva faleceu com apenas um ano de idade, com meningite.

O senhor José era padeiro. Logo ele montou um bar, com o nome de BAR CANTA GALO. Dona Isaura, como uma esposa companheira sempre esteve ao lado do marido apoiando e ajudando nas atividades do bar. “Eu fazia salgados, doces, sorvetes, um pouco de tudo”, conta. O bar era um ponto de encontro dos torcedores do bandeirante futebol clube. “Toda semana que tinha jogo do clube, as pessoas se reuniam no bar para discutir os jogos. Era uma festa”.

Dona Isaura conta que os doces que fazia eram famosos na cidade. O mais procurado era o doce bomba. “Era um dos mais famosos, depois do sorvete, de que todo mundo gostava”, conta.

O bar ficou aberto por quase 35 anos. Depois, dona Isaura continuou trabalhando em casa, sempre cuidando da casa, das crianças, gostava de cozinhar e fazia crochês, bordados. “Eu que fiz as roupinhas das minhas crianças. Fazia até as camisas do Zé e dos meninos”, disse.

Hoje, ela é uma mulher feliz, realizada e orgulhosa de ter os filhos estudados e bem educados. Além de mãe, é avó e bisavó. Tem 11 netos e 14 bisnetos. “Sinto saudades da época em que meus filhos eram crianças, depois cada um pegou um rumo”, conta.

Mesmo com dificuldades para andar, o sorriso sempre está no rosto junto com o olhar esperançoso de uma mãe que sempre quer o melhor para os filhos.

 

 

 

 

 

Queremos deixar também um agradecimento especial às vizinhas D. Ilda Azevedo Leite, casada com Jonas Leite, e D. Celeste Frata Finoto, que eram grandes amigas e aqui estavam sempre prontas para colaborar, para bater um papo amigo, para fazer uma companhia, para ajudar, e sempre ajudavam, e também o sr. Antonio Fifolato, outro grande vizinho/amigo. Também à jovem Carina Miguel, que durante a enfermidade do Sr. José Zapolla, foi não só a responsável pela limpeza da casa, mas uma companhia/amiga. Depois de sua morte, foi a grande companheira de D. Isaura, durante um ano inteiro, agosto/2006 a agosto/2007, tendo nascido entre as duas um relacionamento de amor e consideração, que as acompanhou até o final da vida da D. Isaura.

José e Isaura tinham um VW fusca 1969, relíquia da família,  super novo,  apelidado de “GODOT”. Foi comprado, em sociedade com a Ana Clara, pela Áurea Beatriz, de um colega de Rio Claro,  logo após a sua formatura,e que ainda hoje está com a família. Representa uma etapa da vida dos pais e o carinho das filhas e está guardado como um souvenir e uma peça de recordação de muitas histórias e aventuras.

“Ganharam” também, algum tempo atrás, um cão amigo que apareceu na porta da casa. Foi tratado pela Áurea, que o deixou totalmente sadio, batizado de PINDUCA. Apesar do temperamento difícil, era amoroso, brincalhão e foi uma grande companhia para os dois. Não gostava de ser contrariado. Chegou até a morder o pé do Sr. José, tirando-lhe muito sangue levando-o ao pronto atendimento para alguns pontos. E José disse que a culpa era sua própria já que ele foi “cutucar” o Pinduca.  Em alguns momentos, José o chamava de BIDU. Hoje, Pinduca mora em Campinas, onde já foi operado algumas vezes, se recuperando graças a este amor da Áurea e da Ana.  e é tratado com muito amor e carinho, pois além de gostarem muito de cães, o Pinduca vai lembrar sempre, para elas,  os pais José e Isaura.

Isto, de uma maneira simples, demonstra quem eram a D. Isaura e Sr. José, pessoas simples, mas que sabiam cativar as pessoas, ganhando muita amizade, consideração  e respeito.

O que era também demonstrado por todos os filhos, genros, noras, netos, netas, bisnetos, sempre com lembrancinhas, visitas, cartões, passeios e comemorações. Na comemoração de bodas de ouro, celebrada na Igreja Santo Antonio, sob a tela de Santo Antonio, uma das obras mais bonita e famosa de CANDIDO PORTINARI, celebrada pelo Diácono Walter Adami, eles receberam esta mensagem que muito os emocionaram: “O aniversário é de vocês, queridos papai e mamãe, mas o presente é todo nosso, seus filhos que os amam muito e que tem a benção de comemorar estas bodas juntos. Muito obrigada e muito amor, sempre. De suas filhas, Áurea e “Ana”. (10/07/1999). Todos os familiares e amigos foram recepcionados no Centro Social Lions Clube, onde apesar do frio intenso, o calor humano era enorme.

       Outra pessoa que se tornou praticamente uma irmã, que manteve um elo de amizade e consideração muito grande com a D. Isaura foi a doceira de Batatais, D. LEDA BENDASSOLI R. ZAMPRONI, que estava praticamente junto com a família Zapolla, em todos os instantes, fossem eles alegres ou tristes.

 

       Em 01 de setembro, em resposta a um requerimento de condolências enviado pela Câmara Municipal de Brodowski, a família enviou a seguinte reposta à edilidade:

 

 

        “A Família ZAPOLLA através dos” Irmãos ISAURA MEIRE, JOSE CARLOS, CLARICE DERLEI, ANTONIO DOUGLAS, VERA LUCIA e ÁUREA BEATRIZ, vem mui respeitosamente, agradecer a manifestação de apreço e consideração traduzidos no Requerimento 113/2007, de 30 de agosto de 2.007, expressando votos de profundo e comovido pesar pelo falecimento de nossa querida e já saudosa genitora ISAURA REBECHI ZAPOLLA, ocorrido no ultimo dia 30 de agosto, e aprovado por todos os vereadores desta casa de leis em sessão realizada no dia 05 de setembro pp. Agradecimento que se torna mais reconhecido à Vereadora ELENICE SANCHES RODRIGUES TONELLO, autora do referido requerimento.

Uma das maiores emoções de nosso saudoso pai, JOSE ZAPOLLA, falecido no dia 15 de julho de 2.006, e dividida com sua esposa, nossa mãe, ISAURA, e com todos os filhos, genros, noras,  netos e bisnetos, foi quando no dia 23 de maio  de agosto de 1.994, através do PROJETO DE LEI 028/94  assinado pelo então vereador NELSON AGOSTINHO e aprovado por UNANIMIDADE na sessão do dia 16 de junho de 1.994, o qual denominava PRAÇA PUBLICA JOSE ZAPOLLA,  e que em um de seus parágrafos afirmava : “ ZÉ PADEIRINHO É UMA DAS RESERVAS MORAIS DA CIDADE e seu nome ficará perpetuado sempre, nomenclaturando sua praça....

Tenham a certeza, senhores vereadores, de que a família ZAPOLLA será eternamente grata a esta edilidade pela consideração que  demonstraram para com os nossos pais, que tiveram em Brodowski, sempre uma vida digna, trabalhadora, honesta,  cultuando a amizade com consideração e sem cores partidárias, mesmo naqueles idos tempos, quando a rivalidade era maior entre os partidos políticos e os esportistas, e o famoso BAR CANTA GALO, apesar de ser reduto de uma determinada facção esportiva e política, sempre foi freqüentado dentro do clima de cordialidade e amizade por TODOS , onde a cor partidária era uma só : BRODOWSKIANA.

 Este gesto e esta consideração foi uma motivação a mais de vida para ele e pode lhe dar, no pleno gozo de sua saúde, com 80 anos de idade, a certeza de que seu trabalho não foi em vão e sim reconhecido por essa cidade que ele tanto amou, e que levou no seu coração,  até o dia 15 de julho de 2.006, quando com 92 anos, foi chamado por Deus. Esta chama de amor à BRODOWSKI, de cidadania, senhores vereadores, continua viva em todos nós ainda hoje,

Este reconhecimento dedicado à família ZAPOLLA será sempre um motivo a mais para que continuarmos cada vez mais, tendo orgulho desta edilidade. Aqueles ideais herdados de nossos pais, homenageados em épocas distintas por essa casa de leis, norteam nossos caminhos. Tenham a certeza de que todos nós, filhos, netos, genros, noras, netos e bisnetos, procuraremos sempre dar à nossa Brodowski a certeza de que nesta família se cultua a honestidade, o respeito às causas públicas, à  cidadania, a nossa reverencia, tudo que faz do homem de bem, o seu patrimônio maior.

Transmita aos senhores vereadores, Elenice dos Santos Rodrigues Tonello, Jose Luiz Perez, Ângelo Marcelo Fossa, Gilmar Berlese, Ildo Soares Filho, José Áureo Furlan, José dos Santos Maciel, Olavo Dalpogeto e Roni Eustáquio Silva, o nosso reconhecimento, e em nome deste casal JOSE ZAPOLLA / ISAURA REBECCHI ZAPOLLA, que tanto tiveram BRODOWSKI em seus corações, e que certamente agora ao lado do nosso Criador, reza e ampara não só os filhos e familiares, mas a todos que como eles, souberam dignificar o ser humano, e recebam dos seus filhos ISAURA MEIRE (José Flávio) JOSÉ CARLOS (Marimar), CLARICE DERLEI ( José Carlos) , ANTONIO DOUGLAS ( Tarcilia ) , VERA LÚCIA ( José César )   e ÁUREA BEATRIZ, um abraço fraterno, simbolizando toda nossa oração para que o Pai  Celestial olhe sempre por todos vocês

Que Deus, o Grande Arquiteto do Universo, continue nos protegendo, nos orientando, nos dando forças pra que juntos possamos dar a contribuição para um futuro melhor, e para que Brodowski continue sempre sendo formada por famílias bem constituídas.

 

FAMILIA ZAPOLLA

Meire (Flávio), José Carlos(Marimar), Derlei (José Carlos), Douglas(Tarcília), Vera (César)  e Áurea

 

Obs.: Esta carta foi publicada no jornal TRIBUNA DA IMPRENSA, de Brodowski, Edição , outubro/2007

 

CLIQUE E VEJA AS FOTOS DESTE CAPÍTULO


. .